Uberlândia cria teste rápido para Covid a partir da saliva

0
896
Universidade Federal de Uberlândia desenvolve teste rápido para a Covid-19, que usa saliva e dá resultado em dois minutos. Fotos - Alexandre Santos-UFU
Universidade Federal de Uberlândia desenvolve teste rápido para a Covid-19, que usa saliva e dá resultado em dois minutos. Fotos - Alexandre Santos-UFU

Dentro de algumas semanas, a Universidade Federal de Uberlândia (UFU), no Triângulo Mineiro, vai colocar no mercado um novo aparelho para fazer diagnóstico da Covid-19 em dois minutos. Além da rapidez, outro diferencial do teste que está sendo criado pelo Departamento de Nanobiotecnologia da universidade é que ele não precisa de reagentes.

Esse é um dado de grande relevância, uma vez que as substâncias usadas nos testes convencionais estão em falta no mercado mundial por conta da pandemia do coronavírus. “A possibilidade de termos testes que não usam reagentes vai ser um ganho para o país”, destacou o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, que foi conhecer o novo aparelho que está sendo desenvolvido pela universidade.

Para o diagnóstico, o novo aparelho usa saliva ou gotas de gargarejo do paciente. O coordenador da pesquisa, professor Luiz Ricardo Goulart Filho, explica que um dos testes é biofotônico (que utiliza luz infravermelha) e o outro é eletroquímico (envolve correntes elétricas).

Técnica realiza demonstração de teste desenvolvido pela Universidade Federal de Uberlândia

“No caso do sensor biofotônico, o teste é feito em nuvem usando um algoritmo na internet, enquanto que o eletroquímico é realizado diretamente no smartphone com o auxílio de pequeno equipamento que parece um pendrive e microchips”, conta o coordenador da pesquisa.

Sobre a decisão de buscar um teste que não usasse reagentes, o professor informa que o objetivo da universidade era buscar uma tecnologia alternativa. “A intenção era desenvolver uma tecnologia que não usasse reagentes. A gente utiliza isso para asma, apneia, canceres, gripes e zika vírus. Isso fez com que optássemos por usar o mesmo método para a Covid-19”, afirma Goulart.

Aparelho faz 600 testes por dia

Segundo o professor Goulart, os aparelhos portáteis para a realização dos testes estarão disponíveis em unidades de saúde e em laboratórios do governo em todo o país. As unidades que vão receber o equipamento serão definidas pelo Ministério da Saúde. Cada unidade é capaz de realizar em torno de 600 testes por dia.

A Universidade Federal de Uberlândia está solicitando o registro de patente do novo aparelho em nível mundial, para que ele possa ser também utilizado por outros países.

Relacionadas

Covid-19: hospital cria novo teste para uso em larga escala

Nova máscara usa carregador de celular para matar virus

Com assessoria de comunicação da UFU



DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome