Respirador barato e de rápida produção é aprovado

0
488
Imagem de Omni Matryx - Pixabay
Imagem de Omni Matryx - Pixabay

O respirador criado por engenheiros da Escola Politécnica (Poli) da USP, que o Boas Novas havia noticiado, foi aprovado nos testes técnicos feitos com humanos e será agora enviado para aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

As principais vantagens do equipamento, batizado de Inspire: ele pode ser fabricado em cerca de duas horas e seu custo é 15 vezes menor do que os aparelhos mais baratos vendidos no mercado. Enquanto os ventiladores convencionais custam, em média, R$ 15 mil, o valor do Inspire é de cerca de R$ 1 mil, de acordo com os pesquisadores.

Desde que a Organização Mundial de Saúde (OMS) considerou o novo coronavírus uma pandemia, uma das grandes preocupações de todos os países era ter ventiladores em quantidade suficiente para atender pacientes mais graves, que começam a sentir falta de ar. Aqui no Brasil, muitos estados não dispunham de respiradores e tiveram que importar o produto, em especial da China, a preços muito altos.

Testes em humanos

Os testes em humanos foram feitos com quatro pacientes internados no Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas (HC) da USP, entre os dias 17 e 19 de abril. Segundo os técnicos, o respirador foi considerado aprovado em todos os modos de uso e não houve nenhum problema com os pacientes ventilados. Testes foram feitos também em animais, que comprovaram a eficiência do respirador.

O Inspire é resultado do trabalho desenvolvido por aproximadamente 40 pesquisadores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), entre engenheiros biomédicos, mecânicos, mecatrônicos, eletrônicos e de produção, estudantes e representantes da iniciativa privada.

Respirador pulmonar desenvolvido pela Poli USP foi aprovado em avaliações técnicas e em testes com humanos e animais — Foto: Reprodução/Poli USP

Relacionada

Paraíba cria respirador para Covid-19 eficiente e barato

A intenção era suprir uma possível demanda pelo equipamento hospitalar durante a pandemia do coronavírus, de baixo custo, produção rápida e que usasse componentes nacionais.

Outro diferencial do ventilador pulmonar desenvolvido pela Poli é que ele é mecânico, para ser utilizado em emergências, pois a equipe considerou uma eventual falta de linhas de ar comprimido nos leitos de hospital, o que tornaria necessário o bombeamento de ar para o paciente.

Segundo o pesquisador Raul González Lima, a Poli é responsável pelo projeto, mas não pela fabricação, que deverá ser feita por empresas com autorização da Anvisa. O Inspire tem licença aberta para os interessados em produzir o ventilador.

Veja abaixo como funciona o Inspire:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome