Feito inédito: descoberta de uma vacina em tempo recorde

0
413
Mundo corre para encontrar uma vacina contra a Covid-19, o que pode ser feito em menos de 12 meses, um feito histórico. Foto - redes sociais
Mundo corre para encontrar uma vacina contra a Covid-19, o que pode ser feito em menos de 12 meses, um feito histórico. Foto - redes sociais

A humanidade está próxima de realizar um feito histórico: a descoberta de uma vacina contra um vírus, no caso o coronavírus, em tempo recorde, provavelmente num prazo inferior a 12 meses. Embora a vacina contra a Covid-19 ainda esteja sendo desenvolvida, há grandes chances de que até o final do ano o imunizante comece a ser aplicado em milhões de pessoas mundo afora.

Até hoje, a vacina desenvolvida no mundo com mais rapidez demorou dez anos para ficar pronta: a do sarampo. O vírus causador da doença foi identificado em 1953, enquanto a vacina foi aprovada em 1963. Descobrir o vírus e criar uma vacina em 12 meses é algo fenomenal e, segundo cientistas, está bem próximo de ser concretizada.

No caso da vacina contra a Covid-19, há algumas razões que podem explicar tal conquista, caso ela seja confirmada. Primeiro, houve uma união sem precedentes da comunidade global, em especial da comunidade científica, para encontrar uma arma eficaz e segura contra um inimigo invisível que continua assustando o planeta.

Poucos dias após o primeiro caso da Covid-19 ser registrado na China, em dezembro do ano passado, pesquisadores do país sequenciaram os dados genéticos do vírus e compartilharam o resultado com o resto do mundo. Essa transparência permitiu que pesquisadores de dezenas de países estudassem rapidamente os aspectos internos e externos do vírus e começassem a tentar criar uma vacina.

O potencial devastador que o vírus demonstrou logo após ser descoberto, que obrigou a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar que o mundo vivia uma pandemia, também explica a união de esforços para encontrar uma solução definitiva para o coronavírus, que só virá, dizem os especialistas, com a descoberta de uma vacina.

Somado aos avanços tecnológicos das últimas décadas, governos e empresas decidiram também investir bilhões de dólares na busca tanto da vacina como de um remédio eficaz para tratar a Covid-19 (que ainda não existe), o que é também inédito.

O resultado é que existem cerca de 200 pesquisas no mundo participando da corrida para encontrar rapidamente o imunizante contra o novo coronavírus, sendo que dez já entraram na fase 3 dos testes em humanos, quando o medicamento é testado num grande número de pessoas, para comprovar a eficácia e segurança encontradas nas fases 1 e 2.

Das vacina mais promissoras em estudo, duas serão testadas em julho em voluntários brasileiros, o que abre também perspectiva de que, em sendo aprovadas, o que é esperado para setembro ou outubro, o Brasil possa ter acesso mais rápido aos medicamentos.

Relacionadas:

Vacina de Oxford contra Covid será entregue em outubro

Covid: vacina a ser produzida no Brasil tem eficácia de 90%

Descoberto medicamento eficaz para combater Covid-19

Não à covid: Uma das maiores realizações da humanidade

Benefício a bilhões

Uma delas, desenvolvida pela Universidade de Oxaford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, será testada em dois mil brasileiros. A outra, do laboratório chinês Sinovac Biotech, será testada em 9 mil voluntários brasileiros, em parceria com o Instituto Butantam, que tem também capacidade para produzir a vacina, caso ela passe nos testes.

Encontrar uma vacina contra uma doença continua sendo uma tarefa desafiadoras e dificílima. Apesar dos esforços e de centenas de pesquisas, não foi encontrada ainda, por exemplo, uma vacina contra o HIV, o causador da Aids (embora existam também, neste caso, razões de ordem econômica).

No caso da vacina contra a Covid-19, uma conjugação de fatores está bem próxima, tudo indica, de provocar uma revolução na medicina e, por óbvio, vencer um inimigo tão poderoso como o coronavírus. Nenhum desses fatores, certamente, pesa mais do que a união de cientistas, universidades, empresas, empresários e governos na busca de um bem comum, capaz de beneficiar bilhões (isso mesmo, bilhões) de pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome