Coronavírus faz aumentar ciclovias nas grandes cidades

0
214
Foto - Fabricio Macedo FGMsp- Pixabay
Foto - Fabricio Macedo FGMsp- Pixabay

A Organização Mundial de Saúde (OMS) indica que andar de bicicleta, além de caminhar, é o meio mais seguro para reduzir a exposição ao coronavírus, que está alarmando o mundo. Uma vez que não é possível saber até quando o vírus estará entre nós, muitas cidades mundo afora têm seguido a orientação da OMS e estão ampliando as cliclovias como uma forma de reduzir o uso do transporte público, onde as aglomerações são inevitáveis.

Em Paris, a prefeita Ann Hidalgo está construindo 650 quilômetros de ciclovias, algumas provisórias, mas a intenção é que elas se tornem permanentes após a pandemia. O Ministério da Transição Ecológica e Solidária da França lançou um programa de cerca de R$ 130 milhões para incentivar o uso das bicicletas após o fim da quarentena.

Cada francês vai poder receber uma ajuda de 50 euros, o equivalente hoje a R$ 325 reais, para o usuário das bikes que precisarem fazer pequenos reparos, como nos pneus, luzes, freios. Na prática, o governo francês está pagando para que as pessoas pedalem.

Prefeitura de Paris e governo francês estão incentivando o uso das bikes
Prefeitura de Paris e governo francês estão incentivando o uso das bikes

Incentivos

“Nós queremos que esse período seja uma virada em relação à cultura ciclista, e que a bicicleta venha a ser a pequena rainha do desconfinamento”, disse a ministra Elisabeth Borne, da Transição Ecológica. Ela também defende que o cidadão francês que usar a bicicleta para se deslocar de casa para o trabalho receba do governo uma verba anual de 400 euros, que corresponde hoje a R$ 2.600.

Em Milão, uma das cidades mais importantes da Itália e muito afetada pela pandemia, a prefeitura decidiu tornar permanente uma infraestrutura de ciclovias de 32 km que havia criado provisoriamente.

“A pandemia nos desafia, mas também oferece uma chance única na vida de mudar de rumo e reparar os danos de um século de ruas focadas em carros”, afirmou Janette Saik-Kahn, ex-comissária de transportes da cidade de Nova York que está dando uma consultoria para a prefeitura da cidade.

Temporário vira permanente

Em Budapeste, ciclovias provisórias vão se transformar em permantes
Em Budapeste, ciclovias provisórias vão se transformar em permantes

Budapeste, capital da Hungria, também construiu ciclovias temporárias, que inicialmente devem durar até setembro, mas o governo já anunciou disposição de que essas vias fiquem de forma permanente na cidade.

“Estamos constantemente monitorando o uso das ciclovias temporárias e esperamos que muitas delas possam permanecer no local”, afirmou o chefe de gabinete do prefeito, Samu Balogh. “A longo prazo, estamos trabalhando para implementar medidas de melhorias no tráfego e construção de novas ciclovias, para que possamos criar um ambiente mais convidativo para ciclismo e caminhada”, acrescentou.

Bogotá, a capital colombiana, jã costumava fechar suas principais vias aos domingos para estimular o uso de bicicletas e caminhadas. Também para reduzir o fluxo de pessoas nos transportes públicos, decidiu, no período da quarentena, abrir quase 76 quilômetros de novas ciclovias temporárias. A prefeita da cidade, Cláudia López, avalia tornar essas vias temporárias em permanentes após pandemia.

Assim como essas cidades, muitas outras mundo afora vão incentivar o uso das bicicletas por ser um meio mais sustentável de transporte e porque, em tempos de coronavírus, ele é mesmo um dos mais adequados, por evitar as multidões nos meios públicos de transporte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome