A espantosa recuperação do Pantanal após os incêndios

0
190
Pantanal é considerado pela Unesco Patrimônio Natural Mundial. Foto - Instituto Arara-Azul
Pantanal é considerado pela Unesco Patrimônio Natural Mundial. Foto - Instituto Arara-Azul

Como aconteceu com as florestas da Austrália, que voltaram a exibir vida após dias e dias de incêndios devastadores, o Pantanal mato-grossense vive situação semelhante. Lá, também, a natureza está surpreendendo.

Quatro meses atrás, o fogo destruiu quase 3 milhões de hectares de vegetação nativa no Mato Grosso do Sul (onde estão 70% de toda a área do Pantanal), o equivalente a 19 vezes o tamanho da cidade de São Paulo, e centenas de animais morreram.

Quatro meses atrás, o cenário era desolador. Hoje, quem visita o Pantanal nem percebe os sinais do fogo. A rápida recuperação da natureza surpreendeu ambientalistas. Áreas que antes só exibiam cinzas, resultado de incêndios que duraram dias, hoje estão completamente verdes.

Araras-azuis, ave vulnerável à extinção, conseguiram sobrevir ao foto. Foto - Instituto Arara-Azul
Araras-azuis, ave vulnerável à extinção, conseguiram sobrevir ao foto. Foto – Instituto Arara-Azul

Araras-azuis e onças-pintadas

No período em que durou o incêndio, havia uma grande preocupação de biólogos com um grupo de cerca de 30 onças-pintadas que vivem em uma fazenda da região. Por dias, elas não foram avistadas, o que gerou o temor de que muitas pudessem ter sido atingidas pelo fogo. Mas, recentemente, os biólogos que acompanham esses animais conseguiram avistar todas, inclusive as que estavam com filhotes.

Situação preocupante era também das araras-azuis, ave vulnerável à extinção. O fogo chegou a atingir metade dos ninhos dessa espécie. Mas muito recentemente os biólogos do Instituto Arara-Azul descobriram que os casais voltaram aos seus ninhos, as fêmeas botaram novos ovos e algumas já exibem os seus novos filhotes.

Onça-pintada também conseguiu resistir ao fogo que destruiu milhares de hectares no Pantanal. Foto - Governo MS
Onça-pintada também conseguiu resistir ao fogo que destruiu milhares de hectares no Pantanal. Foto – Governo MS

Segundo a bióloga Neiva Guedes, do instituto, que se dedica há três décadas ao trabalho de preservação da espécie, foi possível notar, diferentemente de outros anos em que a região foi atingida pelo fogo, uma quantidade enorme de casais fazendo nova postura após a perda de ovos ou de filhotes.

De acordo com Neiva, foram identificados na região 34 filhotes, alguns já em condições de voo. “Em 2020 as araras azuis deram um show de sobrevivência”, comemora a bióloga.

O Pantanal

O Pantanal, um dos biomas mais importantes do país, com fauna e flora riquíssimas, é considerado pela Unesco Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera. Tem 250 mil quilômetros quadrados de extensão, na maior planície inundável do mundo.

Tuiuiú é a ave símbolo do Pantanal. Foto - Governo MS
Tuiuiú é a ave símbolo do Pantanal. Foto – Governo MS

A fauna do Pantanal é bastante diversificada. Levantamentos registram na região a presença de 325  espécies de peixes, 53 de anfíbios, 98 répteis, 656 aves e 159 mamíferos. Os jacarés, as capivaras e as onças estão entre os principais animais. Destacam-se também a arara azul e o tuiuiú, que é a árvore símbolo do Pantanal.

Relacionadas

Amazônia de pé gera economia de R$ 33 bi para Brasil

Astros globais se unem em defesa da Amazônia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome