USP cria aplicativo para gerar teste rápido para a Covid

0
176
Imagem de Willfried Wende - Pixabay
Imagem de Willfried Wende - Pixabay

Uma equipe de cientistas do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP) criou um aplicativo para gerar testes rápidos e baratos para a covid-19. O projeto foi premiado com o terceiro lugar no Global Virtual Hackathon COVID19, competição internacional que premiou ideias inovadoras sobre o novo coronavírus

A ideia dos pesquisadores, liderados pelo professor Ives Charlie da Silva, era desenvolver um teste rápido e barato de diagnóstico de covid-19 utilizando o Zebrafish, mais conhecido como peixe paulistinha, e que vem sendo muito utilizado em pesquisas.

O aplicativo criado pelos professores da USP para gerar teste rápido e barato para a Covid-19. Foto - Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP
O aplicativo criado pelos professores da USP para gerar teste rápido e barato para a Covid-19. Foto – Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP

Os professores aplicaram uma proteína do novo coronavírus no peixe. O zebrafish gerou anticorpos que foram passados para seus ovos após serem colocados para reprodução. Esses anticorpos foram usados para fazer uma fita diagnóstica, que possui um QR code para ser lido no aplicativo que dá, rapidamente, o resultado: positivo ou negativo para covid-19.  O teste é cinco vezes mais rápido do que os atuais.

Segundo o professor Ives, a intenção é a produção desses testes rápidos em larga escala, que as pessoas possam adquirir nas farmácias e fazer em casa. “A pessoa vai utilizar um swab (haste flexível) para coletar saliva e colocar na fita diagnóstica para reagir com os anticorpos de covid-19. Para obter o resultado, ela abre o aplicativo, que vai ler o QR code da fita”, explicou o professor. 

Arte sobre foto cedida pelo pesquisador: Cleber Siquette/Jornal da USP
Arte sobre foto cedida pelo pesquisador: Cleber Siquette/Jornal da USP

Diferenciais

Outros diferenciais do aplicativo: é possível fazer o monitoramento das pessoas que testaram positivo por georreferenciamento, os órgãos de saúde são notificados e faz um acompanhamento desses pacientes por 14 dias, por meio de perguntas com os principais sinais clínicos da doença, como tosse e febre.

Segundo os pesquisadores, o teste está em fase de validação. A equipe está agora trabalhando para quantificar a concentração de anticorpos necessária para fazer o mapeamento de quantos peixes serão necessários para produção em escala global.

O zebrafish, ou peixe paulistinha, usado pelos cientistas da USP na pesquisa de teste rápido para a Covid-19. Foto - UFRGS
O zebrafish, ou peixe paulistinha, usado pelos cientistas da USP na pesquisa de teste rápido para a Covid-19. Foto – UFRGS

O hackathon é uma “maratona hacker” temática que envolve pessoas de diversas áreas do conhecimento e tem como objetivo solucionar um problema com o desenvolvimento de sistemas ou aplicativos. O projeto deve ser iniciado do zero e completado em um curto período de tempo. 

Global Virtual Hackathon COVID19 foi realizado no Azerbaijão, entre os dias 10 e 12 de abril, e teve o apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento.  Foram inscritos 600 projetos de 45 países diferentes.

Com jornal da USP

Relacionadas

Marinha vai produzir o ventilador barato da USP

Covid não assusta médico de 98 anos, ainda na ativa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome