Receita da felicidade foi prescrita há mais de 7 décadas

0
435
Pixabay
Pixabay

“Quando você tomar seu anticoncepcional, for trabalhar fora de casa e viajar sem precisar da autorização do marido por escrito, quando você for reivindicar seu direito a herança e guarda do filho numa separação, saiba que tudo isso foi uma conquista feminista”. Está no Estatuto da Mulher Casada (Lei 4.212 em 1962).

E eu, juro, não sabia de nada disso. O alerta veio de uma prima que amo incondicionamente. Um tapa na cara.

Eu ainda nem tinha me recomposto do saculejo da prima, lá veio a minha irmã com uma preciosidade: uma carta enviada à minha avó em 1942. No texto, o médico Reynaldo Passos da Costa vai além das orientações médicas e orienta a minha avó sobre como manter o casamento feliz, higiene íntima e saúde espiritual.

Está lá na carta: Para conhecer o seu próprio eu leia o livro “A Tragédia Biológica da Mulher”. E num é que a minha avó comprou. Minha mãe herdou a publicação. Cheguei a ler trechos da obra. Minhas irmãs, também. Todas movidas pela curiosidade. Lá em casa tinha uma estante cheia de livros. No meio deles, escondido, ficava “A tragédia biológica da mulher”. Nossa mãe nunca explicou o porquê da censura doméstica ao livro.

Lulu, uma das seis irmãs, lembra que um dia se encheu de coragem, fechou a porta do quarto, folheou o livro, leu algumas palavras e não entendeu nada. “Era um amontoado de gráficos redondos, coloridos em amarelo e vermelho. Para uma menina de oito anos aquilo não tinha o menor sentido. Mais tarde descobri que minhas irmãs fizeram a mesma coisa que eu e que aquele era um livro sobre tabela menstrual.

Ela lembra também que na adolescência, quando descobriu que se tratava desse assunto, o que mais me incomodou foi o nome do livro. “Certamente um livro escrito por homens. Nunca levei a sério, talvez pelo fato de eu ter tido mais 9 irmãos”.

Tragédias a parte, vamos às orientações médicas:

“Medida profilática de grande alcance para evitar pertubações hepáticas e as suas consequências será o uso do Sanobil, que deve ser tomado do seguinte modo: 1 colher das de sopa pela manhã, em jejum, puro ou diluído em meio copo de água, durante 25 dias seguidos, pelo menos.

Para tonificar, desensibilizar e calcificar o seu irganismo, até certo ponto depauperado, tornando-o resistente a resfriados, tome 24 injeções de Cálcip Tyndal de 5 c.c, uma por dia”.

E quanto à higiene perfeita? O que diz o Dr. Reynaldo?

“A higiene perfeita, completa, do aparelho genito-urinário, é um grande coadjuvante da saúde feminina. Aconselhamo-la a fazer pela manhã, logo após acordar, e à noite, antes de deitar, a sua higiene íntima com Lavênio. Derramar em 1 litro de água morna o conteúdo de 1 envelope de Lavênio. Faça a sua higiene intima durante toda a sua vida , 2 vezes ao dia, e preservará a sua saúde de males cruéis.

A felicidade conjugal também faz bem à saúde. Mas, para isso, também tem receita. Vamos a ela:

“Um casal para ser feliz, sob a égide Divina, precisa ser, sobretudo, tolerante, compreensível, com o máximo respeito recíproco. É indispensável que marido e esposa tenham a máxima confiança um do outro e não deem valor a esses pequenos incidentes que acarretem tantas discussões inúteis e prejudiciais à harmonia do casal. Paciência e muita paciência um deve ter com o outro.”

78 anos depois, quem ai duvida que amor, respeito mútuo e felicidade devem continuar a ser prescritos como a receita de um santo remédio?

Abaixo, reprodução de carta escrita à Maria Luísa Bicalho, em 1942, pelo médico Reynaldo Passos da Costa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome