Moqueca das Deusas: O dia em que cozinhei com Iemanjá e Clara Nunes

0
432
A moqueca das deusas sai ao som de Clara Nunes
A Moqueca das Deusas sai ao som de Clara Nunes e Roberta Sá | Foto: Marina Cunha

Como mineiro tem essa paixão declarada pelo mar e quase um recalque por não possuí-lo, dias desses, em uma tarde, Iara e Iemanjá resolveram bater um papo comigo e fizemos um bem bolado: a Moqueca das Deusas. Eu entrei com a panela, os acompanhamentos e os braços de trabalho, Iara me trouxe as postas de filhote (piratinga, nome proveniente da língua tupi e que significa “peixe branco”) e Iemanjá, os camarões e a lula.

Enquanto eu picava os ingredientes e misturava a marinada, Clara Nunes entrou na farra e começou a cantar “Feiro de Mangaio”. Clara chega e eu já me atrevo a balançar o quadril, dei uma pausa e um gole no copo de cerveja, chamei o marido e saiu um arrasta-pé ali mesmo, entre a bancada do “mise-en-place” e o fogão.

Batatas, cebolas, pimentões, peixe, leite de coco, azeite, azeitonas, tomates, louro, salsa cebolinha, panela de barro e fogo. O borbulhar do caldo liberava aquele perfume de pertencimento, da junção das culturas indígena, africana e portuguesa.

Notas de barro e leite de coco tomaram conta da cozinha e o cheiro do curry ainda não saiu da minha mão.

Nesse preparo, também há cuidado com a panela, pela primeira vez usada. Panela de barro precisa de “cura”, já que é um instrumento delicado e de grande valor afetivo. Gosto de dizer que a cura é o batismo da panela, uma espécie de ritual para abençoar cada receita.

Afinal, há uma mística que envolve o ato de cozinhar e é melhor não irritar os deuses.

Impossível não me sentir um tanto alquimista, preocupada com o preparo e as sensações que ele despertará.

O perfume foi tomando conta da casa e Roberta Sá, que de longe sentiu, logo chegou: “Água da minha sede, bebo na sua fonte. Sou peixe na sua rede, pôr do sol no seu horizonte”.

Começamos juntas a sapecar os frutos do mar na chapa quente e de forma rápida. Depois, intercalamos os ingredientes na panela de barro. Primeiro. o azeite, para deixar as cebolas untadas e confortáveis para cozinhar; depois, batatas, tomates, pimentões. Caminha pronta para receber as postas. Os camarões e os anéis de lula completavam a montagem e coroavam o preparo em volta do peixe.

Para finalizar, misturei o leite de coco na marinada do camarão e suavemente enchi a panela. Preparo de mar pede caldo que simbolize a grandeza desse espaço, que aqueça cada garfada e complete a profundidade da nossa alma.

Deixei fervendo até a batata terminar o cozimento. Comi de forma lenta, apreciando cada lembrança de pescaria, de beira de rio e mar que colhi ao longo dos anos. Depois, com a alma afagada, assistimos o filme “El faro de las Orcas”. Ainda não me recuperei de minha paixão pelo menino Tristán.

Bom apetite!

Receita para a Moqueca das Deusas

Marinada dos frutos do mar

Ingredientes:

  • 1 tomate maduro
  • 1 cebola
  • 2 limões (somente o suco)
  • 4 dentes de alho
  • 1 colher de café de açafrão
  • 1 colher de chá de lemon pepper
  • 1 colher de curry (o meu foi presente do compadre Paulo Oliveira — depois posto a receita)
  • 1 colher de sopa rasa de sal
  • 300 g de camarão rosa M limpos
  • 200 g de anéis de lula

Bata os ingredientes no liquidificador (menos os frutos do mar, claro!) e deixe descansar os frutos do mar nessa marinada por uns 30 minutos na geladeira.

Aqueça uma frigideira ou chapa e doure os frutos do mar (cuidado para não formar água) por 3 minutos de cada lado (no máximo) e volte para marinada. Reserve na geladeira.

A moqueca

  • 4 postas de Filhote (deixei de molho na marinada também depois de temperar com sal e pimenta do reino)
  • 2 batatas fatiadas em rodelas de 1 cm de altura
  • 1 pimentão verde em rodelas
  • 1 pimentão amarelo em rodelas
  • 2 cebolas em rodelas (1 cm)
  • 2 tomates em rodelas
  • 6 dentes de alho partidos ao meio
  • 1 alho poró picado
  • 1 xícara de chá de salsinha
  • 1 xícara de chá de cebolinha
  • 1 xícara de azeitonas pretas
  • 4 folhas de louro (se achar frescos, pode usar 6)
  • 2 pimentas senhorita (achei da Trebeschi, elas são doces e eu comi cruas e com semente
  • 500 mL de leite de coco

A moqueca é um prato de preparo rápido, pois o peixe é um ingrediente delicado e cozinha rapidamente. Por isso, é importante manter as batatas em rodelas finas. Organize a panela como se fosse preparar uma lasanha: em camadas. Primeiro o azeite, depois as cebolas, batatas, tomates, pimentões, alho, alho poró, louro, azeitonas, postas de peixe no centro da panela e em volta posicione os frutos do mar.

Misture o leite de coco no caldo da marinada e disponha isso na panela com cuidado para não estragar o arranjo em camadas. Tampe a panela e cozinhe em fogo baixo.

*****

Confira as outras receitas de Marina Cunha na coluna Cozinhas Gerais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome