Costa Rica quer ser primeiro país descarbonizado

0
460
Costa Rica quer ser o primeiro país descarbonizado do mundo
Painel solar em Guanacaste, na Costa Rica, país com 99% de energia renovável | Foto: Joe Raedle/Getty

A preocupação em obter alternativas viáveis e limpas para os combustíveis fósseis está na agenda de boa parte dos países. A Costa Rica é o mais novo integrante dessa lista com um objetivo ousado: ser o primeiro país descarbonizado do mundo.

Logo que assumiu, o novo presidente da Costa Rica anunciou um plano ambicioso para tornar o país um líder na luta contra as mudanças climáticas.

O jovem presidente Carlos Alvarado, de 38 anos, foi claro em suas intenções: banir completamente o uso de combustíveis fósseis e fazer da Costa Rica a primeira nação do mundo a alcançar a descarbonização.

“A descarbonização é a grande missão de nossa geração, e a Costa Rica será um dos primeiros países do mundo a realizá-la, se não a primeira”, disse o presidente. “Temos a tarefa titânica de abolir o uso de combustíveis fósseis em nossa economia a fim de abrir caminho para o uso de energias limpas e renováveis.”

Suas intenções já foram apresentadas logo na posse. Ele se deslocou para a cerimônia em um ônibus movido a hidrogênio.

Alvarado tem pressa. Ele planeja implementar a proibição de combustíveis fósseis do país até 2021, ano que marca o 200º aniversário da independência da Costa Rica. A proposta é eliminar a dependência de gasolina e diesel.

Falar em banimento pode parecer algo distante, mas a Costa Rica tem um trabalho intenso e bem sucedido em produzir energias alternativas. O país já gera 99% de suas necessidades de energia por meio de fontes renováveis, como eólica, hidrelétrica, solar e geotérmica.

Caminho para ser descarbonizado passa pelo transporte

Especialistas dizem que um dos últimos grandes passos para o país se tornar descarbonizado é a eliminação de combustíveis fósseis do transporte público. Esse setor é responsável por uma grande parte das emissões de gás carbônico da Costa Rica.

A proposta dividiu opiniões. José Daniel Lara, um pesquisador de energia costarriquenho da Universidade da Califórnia, em Berkeley, disse que eliminar completamente os combustíveis fósseis em apenas alguns anos é provavelmente irrealista — embora o plano estabeleça as bases para uma ação mais rápida em direção a esse objetivo. “Uma proposta como essa deve ser vista por seu valor retórico e não por sua precisão técnica”, disse Lara em entrevista ao jornal inglês The Independent.

Já a economista Monica Araya, especialista em sustentabilidade da Costa Rica e diretora da Costa Rica Limpa, que promove energia renovável e transporte elétrico, disse que, em um país que já está se afastando rapidamente dos combustíveis fósseis, o foco no transporte pode enviar uma mensagem poderosa para o mundo.

O caminho para se tornar um país descarbonizado está lançado.

Para ler mais matérias sobre sustentabilidade nesta semana em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, visite nossa seção de meio ambiente.

* Com informações de The Independent e Goodnews Network

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome