EUA testam 1ª vacina contra coronavírus em humanos

0
960
Pixabay
Pixabay

Cientistas norte-americanos realizaram em Seattle, o primeiro teste da vacina contra o coronavírus em humanos. Segundo comunicado do Instituto Nacional de Saúde (NIH), o teste faz parte de um estudo que vai acompanhar 45 voluntários adultos saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos, e deve durar pelo menos seis semanas.

A expectativa dos cientistas, entretanto, é que o processo de criação da vacina deve durar de 1 ano a 18 meses, uma vez que serão necessários novos testes. Seattle foi escolhida porque a região concentra um grande número de pessoas infectadas pela Covid-19.

Quem recebeu primeiro a vacina (que está sendo chamada de RNA-1273) foi a norte-americana Jennifer Haller, gerente de tecnologia de uma pequena empresa de tecnologia. Ela disse à rede de notícias MSNBC que tem sua temperatura tirada durante várias vezes por dia e que é acompanhada por uma equipe médica constantemente.

“Há grandes chances de que eu esteja envolvida na descoberta da vacina, mas ainda que não seja dessa vez, pelo menos estou contribuindo como parte do processo de descoberta”, disse Haller. Ela conta que ficou sabendo do estudo a partir de uma postagem no Facebook e se ofereceu para ser voluntária.

Colaboração internacional

Gerd Altmann - Pixabay
Gerd Altmann – Pixabay

A vacina foi desenvolvida por cientistas e colabores do NIH, num trabalho conjunto com empresa de biotecnologia Moderna, com sede em Cambridge, Massachusetts. A Coalizão de Inovações em Preparação para Epidemias (CEPI), com sede em Oslo, Noruega, também direcionou fundos para a produção da vacina.

Atualmente, não existem vacinas ou tratamentos aprovados para a Covid-19, que infectou mais de 175 mil pessoas em todo o mundo desde que surgiu na cidade chinesa de Wuham (centro), no final de dezembro.

“Encontrar uma vacina segura e eficaz para prevenir a infecção de Sars-CoV-2 é uma prioridade para a saúde pública”, explicou Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas.

Outras possibilidades

Laboratórios farmacêuticos e de pesquisa em todo o mundo correm para desenvolver tratamentos e vacinas para o novo coronavírus, que está alarmando o mundo.

A American Gilead Sciences desenvolveu um tratamento antiviral chamado Remdesivir, que está em estágios finais de testes clínicos na Ásia. Na China, médicos relataram que ele demonstrou ser eficaz no combate à doença.

A Inovio, outra empresa americana, também está criando uma vacina baseada em DNA e comunicou que iniciará testes clínicos no próximo mês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome