RosaApp faz busca ativa de mulheres com risco de câncer

0
780

Aplicativo Rosa, criado para atuar na prevenção, no controle e no apoio ao tratamento do câncer de mama, agora é ferramenta para busca ativa de mulheres que estão na faixa de risco da doença.

Muito se fala que a melhoria do atendimento à saúde está atrelada à qualificação profissional. Sim, é realmente necessário qualificar os profissionais para satisfazer a necessidade de quem busca atendimento nas redes pública e privada de saúde. Mas, só qualificar não basta. É preciso que as novas tecnologias sejam incorporadas à rotina dos profissionais.

Foi com esse objetivo que no ano passado a farmacêutica Renata Alcântara criou o RosaApp, um aplicativo que atua na prevenção, no controle e no apoio ao tratamento do câncer de mama ao longo de todo ano e não apenas em Outubro.

O RosaApp traz lembretes sobre mamografia e ultrassom, oferece endereços dos locais mais próximos para realização dos exames, armazena dados para as próximas consultas e oferece dicas sobre hábitos saudáveis e ainda personaliza o cuidado, promovendo a interação com a usuária. Para isso, tem a “Rosa”, um robozinho capaz de conhecer a mulher à medida que o aplicativo é utilizado.

E foram essas funcionalidades do RosaApp que atraíram a aposentada Marilene Martins e a servidora pública Gilda Resende. Marilene descobriu o aplicativo recentemente por indicação de uma vizinha. Entusiasmada com a novidade, recomendou o aplicativo às amigas da Igreja de São João Evangelista, no bairro Serra, em Belo Horizonte, onde é uma das voluntárias.

A aposentada Marilene Martins é uma das usuárias do RosaApp: "Vi no aplicativo um apoio importante". Foto - Divulgação
A aposentada Marilene Martins é uma das usuárias do RosaApp: “Vi no aplicativo um apoio importante”. Foto – Divulgação

Inteligência artificial

A aposentada mantém uma rotina pesada. Na igreja, participa de oficinas, dos bazares beneficentes e ainda canta no Coral. Os cuidados com a casa e com o sítio também ocupam grande parte de seu tempo. “Como estou sempre muito ocupada, vi no aplicativo um apoio importante. Com o Rosa vou ficar mais atenta aos cuidados com a minha saúde”, afirma.

Ela enumera os serviços que mais a atraíram no aplicativo: o RosaApp me alerta sobre horários dos medicamentos, sobre a data dos exames e o endereço de laboratórios, clínicas e hospitais próximos à minha residência.

Gilda Resende, uma apaixonada por novas tecnologias, também é usuária do Rosa. “O chat bot foi o que mais me atraiu no aplicativo”, diz ela, referindo-se à “Rosa”, a atendente que, na verdade, é um programa de computador. Para esclarecer as dúvidas dos usuários, o programa utiliza-se de inteligência artificial e funciona como uma espécie de assistente que se comunica e interage com os usuários, por meio de mensagens de texto automatizadas.

A satisfação de usuárias como Marilene e Gilda deixam Renata Alcântara otimista com o Rosa. O próximo passo, anuncia, é a municipalização do App. O primeiro município a aderir à ferramenta foi Taquaraçu de Minas. A partir desse mês, os agentes comunitários de saúde deste município da Região Metropolitana de Belo Horizonte passarão a usar o Rosa para fazer busca ativa de mulheres na faixa de risco do câncer de mama.

“O processo de inovação tecnológica na área de saúde, tanto pública, quanto privada, é irreversível. O custo/benefício é enorme. Impacta tanto na redução do gasto quanto na resolutividade da atenção integral à saúde”, garante Renata.

A farmacêutica Renata Alcântara é a criadora do RosaApp. Foto - arquivo pessoal
A farmacêutica Renata Alcântara é a criadora do RosaApp. Foto – arquivo pessoal

Como baixar o RosaApp.

Passo 1: Clique no aplicativo do Google Play (Play Store) em seu telefone.

Passo 2: Busque pelo RosaApp. Para isso, clique no espaço em branco, no topo de sua tela, e escreva o nome do aplicativo. Para confirmar, clique na lupa do teclado do seu telefone.

Passo 3: Clique em “Instalar”.

Passo 4: O aplicativo pedirá acesso a algumas informações. Responda e clique em “Aceitar”.

Pronto. O RosaApp agora é seu parceiro. A sua saúde agradece.

A importância do diagnóstico precoce

O diagnóstico precoce aumenta as chances de sucesso do tratamento. Em relação à avaliação das mamas preconiza-se:

Mulheres de 40 a 49 anos – realização do exame clínico das mamas para todas as mulheres dessa faixa etária e realização de mamografia, se existir indicação da equipe de saúde.

Mulheres de 50 a 69 anos – realização do exame clínico das mamas e realização de mamografia de 2 em 2 anos, ou em intervalos menores na dependendo do resultado da mamografia anterior. Se você perceber alguma alteração na mama procure a equipe de saúde mais próxima da sua casa. Conhecer o seu corpo e se cuidar é muito importante!

Mulheres com elevado risco para câncer de mama (histórico familiar e/ou histórico pessoal de câncer de mama) – necessária avaliação e acompanhamento individualizado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome