Panna cotta para Sylvia – Um banho na Fontana di Trevi

0
431
A panna cotta inspirada em filme de Fellini

Tive uma passagem quase instantânea pela Itália. Para minha infelicidade, durou 12 horas, uma volta no Coliseu e um gelato na Fontana di Trevi. Pouco pude explorar esse país de sobremesas espetaculares e que agrada boa parte dos glutões espalhados pelo mundo.

Não joguei moedas na fonte. Ela estava tão lotada de turistas que meu deleite se deu apenas na imaginação, onde pude brincar de ser Sylvia (Anita Ekberg) e me refrescar naquela água, como em “A Doce Vida”, de Fellini. Não se engane, a decepção não me pegou. Estar naquele lugar, palco de uma obra tão espetacular como esse filme, já era, em si, um sonho.

Cheguei no Brasil com vontade de Itália. Naquele mês, tiramissú e muita massa enfeitaram nossas refeições. Hoje, tirei da gaveta uma receita simples, mas com uma grandeza imensa – panna cotta. Ela é típica da região de Piemonte, geralmente aromatizada com baunilha e pode ser acompanhada com uma infinidade de caldas, frutas e coulis.

Como minha inspiração principal foi a Sylvia de Fellini, seus cabelos loiros me inspiraram a servir a sobremesa com um coulis de frutas amarelas – manga, gotas de limão siciliano e maracujá. Essa mistura levemente ácida também justifica a mensagem do filme, que faz uma crítica sublime a uma vida sem rumo e rasa em busca de cinco minutos de fama.

Para acompanhar o preparo, a trilha sonora do filme, composta por Nino Rota, é uma excelente pedida. Esta versão que compartilho foi interpretada por Fábio Caramuru e a Jazz Sinfônica.

Receita da panna cotta

1 folha de gelatina ou uma colher de café cheia de agar-agar (para os vegetarianos)

  • 500 ml de creme de leite fresco
  • 45 g de açúcar refinado
  • 2 vagens de baunilha
  • 1 colher de rum (se tiver)

Coulis de frutas amarelas

  • 1 manga Tommy
  • ½ maracujá (batido e coado)
  • 1 colher de sopa de suco de limão siciliano
  • 2 colheres de sopa rasa de açúcar refinado
  • 4 folhas de hortelã

Preparo

Amoleça a folha de gelatina com água fria e reserve.

Aqueça em uma panela o creme de leite, o açúcar e os favos de baunilhas abertos longitudinalmente. Após a fervura, adicione a gelatina e o rum. Misture até que a gelatina (ou agar-agar) estejam dissolvidos. Coloque em 4 ou 6 forminhas e leve a geladeira para endurecer.

Coulis

Em uma caçarola, derreta o açúcar e não deixe que ele fique escuro. Adicione a manga cortada em pedações pequenos. Quando a manga desmanchar, jogue esse preparo no liquidificador e adicione o suco de maracujá coado, o suco de limão siciliano e as folhas de hortelã. Bata tudo e espere gelar.

Para servir, desenforme e regue com o coulis.

*****

Confira as crônicas e as receitas de Marina Cunha na coluna Cozinhas Gerais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome