Literatura e cinema rendem uma bela torta de batata

3
421
Imagem - Gerd Altmann - Pixabay
Imagem - Gerd Altmann - Pixabay

Quer trocar o mundo real por uma imersão na fantasia? Se a resposta foi “sim” sugiro que embarque na “Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata”. Filme delicioso, inspirado no romance homônimo escrito por Annie Barrows e Mary Ann Shaffer.

A narrativa gira em torno de Juliet Ashotn, uma escritora que vai até a ilha inglesa de Guernsey, atraída por uma sociedade literária criada durante a Segunda Guerra Mundial. Além desse, há outros motivos.

Sem querer dar spoyller e já dando, a sociedade foi criada por alguns moradores de Guernsey na tentativa de se safarem de uma situação totalmente inusitada. Mas, são contaminados pelo “virus” da leitura e se envolvem de tal forma com a leitura que passam a utilizar o espaço para falarem sobre Literatura.

Tudo começa quando Juliet passa a se corresponder com um de seus leitores. Nas cartas, Dawsey (Michiel Huisman) revela à Juliet a existência da Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata. Além da identificação intelectual com o autor das cartas, movida também pela perspectiva de inspirar-se com a história da Sociedade Literária, Juliet decide viajar para Guernsey.

Mas não fique achando que esse é só mais um filme romântico. (Ah, essas mulheres! Afff!). Nada disso. A história vai muito além desse casal. Juliet se apaixona também por Elizabeth (Jessica Brown Findlay), a fundadora do clube de leitura. Mas nada a ver com romance. O filme conta a história de uma mulher valorizando a outra. E de quebra traz um bônus: na trama temos um moço gracinha, amável, ideal e tolerante.

Que bandeira! Deixei escapar o meu lado romântico. Viva! Ele ainda existe! Afinal, quem não quer um moço igualzinho ao Dawsey para chamar de seu?

Ah, e sobre a Torta de Cascas de Batatas? Não posso dar a receita porque vocês iriam me trucidar se eu adiantar mais alguma coisa por aqui. Chega de spoiller. Melhor ver o filme. Antes, leia o livro. Nessa ordem.

3 COMENTÁRIOS

  1. Realmente este filme é encantador! E o mocinho também rsrsrs… a história nos deixa muitas lições! Ótima dica Gisele. Obrigada por compartilhar.

  2. Gi..gosto de saborear suas crônicas. Fico protelando a leitura, para ver se fico mais próxima da nova publicação. Delícia! Certamente o filme ganhou audiência e eu, certamente, farei uma torta de batatas… As cascas? Quem sabe do final?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira o seu comentário!
Por favor insira seu nome